top of page
  • Foto do escritorEliseu Matioli

Dia Nacional das Comunicações

Dia 05 de maio de 2023


Imagem comemorativa do Grupo ItaCast

No dia 5 de maio é celebrado o Dia Nacional das Comunicações, data escolhida em homenagem ao nascimento de Marechal Cândido Mariano da Silva Rondon, uma das principais figuras da difusão dos sistemas de comunicação no Brasil. Por esse motivo, por vezes, a referida data é mencionada como “Dia de Rondon”.


A comunicação é algo inerente às atividades humanas e dos seres vivos em geral.


É possível notar os primeiros sinais de comunicação muito antes mesmo do desenvolvimento da escrita, já através de pinturas rupestres em cavernas do mundo todo ou ainda através de sinais deixados em árvores ou em pontos estratégicos para localizações de caminhos.


Com o tempo, as sociedades que se constituíram foram, gradativamente, construindo e aperfeiçoando diferentes métodos que envolviam a emissão e recepção de mensagens, estabelecendo a comunicação entre os mais diversos lugares.


Na própria mitologia romana havia um deus chamado Mercúrio, o mesmo tinha o nome de Hermes na mitologia grega.


Esse deus era o mensageiro do Olimpo e era encarregado por levar as almas dos mortos até as margens do Rio Estige, que levava ao submundo.


Na Idade Média, por exemplo, utilizavam-se mensageiros, que tinham de percorrer grandes distâncias durante vários dias ou até meses para entregar importantes recados. Também eram empregados diversos métodos que envolviam o uso de aves, principalmente os pombos, por estes possuírem características que possibilitavam a sua domesticação e adestramento.


Nos dias atuais a comunicação, publicidade e propaganda são representadas por um animal, sendo ele o galo.


Esse animal é escolhido para ocupar tal função, pois o mesmo é o primeiro do reino animal a acordar ao primeiro raio de sol para anunciar a chegada da manhã.


No Brasil, de forma muito especial, o Marechal Cândido Rondon, é o patrono das comunicações.


Marechal Rondon é famoso por sua exploração de Mato Grosso e da Bacia Amazônica Ocidental e por seu apoio vitalício às populações indígenas brasileiras.


Foi o primeiro diretor do Serviço de Proteção ao Índio (SPI) e estimulou a criação do Parque Nacional do Xingu. O estado brasileiro de Rondônia recebeu esse nome em sua homenagem. É o patrono da arma de Comunicações do Exército Brasileiro.


Pela competência demonstrada na construção de linhas telegráficas, Rondon foi encarregado de estender a linha telegráfica de Mato Grosso para a Amazônia. No curso da construção da linha, descobriu o Rio Juruena, um importante afluente do Tapajós, no norte de Mato Grosso. Também descobriu os Nambiquara, um povo isolado que até então havia matado todos os não índios com quem entrara em contato. Rondon também descobriu as ruínas do Real Forte Príncipe da Beira, a maior relíquia histórica de Rondônia.


Como se os feitos já não fossem suficiente, em janeiro de 1914, Rondon partiu com o ex-presidente dos Estados Unidos, Theodore Roosevelt na Expedição Científica Rondon-Roosevelt, cujos objetivos eram explorar o Rio da Dúvida.


A expedição deixou Tapiripuã e chegou ao Rio da Dúvida em 27 de fevereiro de 1914. Eles não alcançaram a foz do rio até o final de abril, depois que a expedição sofreu muito. Durante a expedição, o Rio da Dúvida foi renomeado para Rio Roosevelt.


A aventura no Rio da Dúvida foi a mais difícil da vida de Theodore Roosevelt, tendo abalado sua saúde para o resto da vida. Todos os homens, exceto Rondon, sofriam de doenças e enfermidades constantes.


Em 1919, já como general de brigada, Rondon foi nomeado diretor de Engenharia do Exército, e autorizou a construção de quartéis. Nessa época ele também acumulou os cargos de chefe da corporação brasileira de engenheiros e de chefe da Comissão Telegráfica.


O Marechal também liderou as tropas do exército contra a Revolta Paulista, foi o diplomata mediador da disputa entre a Colômbia e o Peru sobre a cidade de Leticia e mapeou, além do estado de Mato Grosso, entre 1927 a 1930, toda a fronteira brasileira.


O Marechal Cândido Rondon é considerado um dos principais heróis e patriotas brasileiros e, portanto, tem sido homenageado pela população e pelo governo de várias maneiras. Ele é o "Pai das Telecomunicações Brasileiras" e o dia 5 de maio, data de seu aniversário, é também o Dia Nacional das Telecomunicações, estabelecido em sua homenagem. Teve a glória de ter seu nome escrito em letras de ouro no maciço Livro da Sociedade Geográfica de Nova Iorque.


Uma das frases mais famosas de Rondon teve sua maior utilização quando o mesmo foi atingido por uma flecha envenenada dos índios nhambiquaras. Foi salvo pela bandoleira de couro de sua espingarda. Porém, ordenou aos seus comandados que não reagissem e batessem em retirada, demonstrando seu princípio de penetrar no sertão somente com a paz. Sua frase de vida era: "Morrer, se preciso for. Matar, nunca".


Sabiamente, Rondon também disse: "Eu creio que no estado de ansiedade atual, a solução é deixar o pensamento livre como a respiração".


Dificilmente o Brasil e o mundo verá uma herói de mente tão brilhante, diplomática e pacífica como Marechal Cândido Rondon.

Comments


bottom of page